Troque Celulares e Tablets das crianças por instrumentos musicais

Frederic Chopin – Biografia
7 de novembro de 2018
Metrô Contrata 250 Estagiários de Nível Técnico e Superior
7 de novembro de 2018

 

 

 

Vamos Substituir os Celulares e Computadores por Instrumentos Musicais.

A forma como criamos nossas crianças mudou muito de uns tempos para cá.

Agora, a estratégia adotada por muitos pais para acalmar seus filhos é dar-lhes um tablet ou um smartphone.

Dentro desse contexto, as brincadeiras ao ar livre a atividades manuais ficam cada vez mais esquecidas.

Essa forma de criação é contestada pelo neuropsicólogo espanhol Álvaro Bilbao, que em seu livro “El cerebro del niño explicado a los padres” (O cérebro da criança explicado aos pais – em tradução livre), diz que, se queremos criar crianças mais inteligentes, devemos substituir seus tablets por instrumentos musicais. Bilba acredita que as aulas de música estimulam a capacidade de raciocínio das crianças, mais do que a tecnologia. Além disso, os pais têm um papel importante na inteligência de seus filhos. Um estudo que foi publicado na revista Psiquiatría Molecular afirma que 50% da inteligência da criança é determinada pelos genes, mas os outros 50% dependem dos estímulos que elas recebem.“A chave do desenvolvimento potencial do cérebro da criança está na sua relação com os pais. Ainda que a genética tenha um peso importante, sem essa presença não se materializa”, diz Bilba.

Pesquisadores da Universidade de Toronto realizaram um estudo, publicado na revista Psychological Science, que relacionou o desenvolvimento cognitivo com o estudo e a aprendizagem de música. Para o estudo, três grupos de crianças de seis anos estudaram, separadamente, durante um ano, canto, piano e expressão dramática. As crianças que se dedicaram a estudar música foram as que mostraram maiores padrões de inteligência.

A música possui um papel importante na educação das crianças. Ela contribui para o desenvolvimento psicomotor, sócioafetivo, cognitivo e linguístico, além de ser facilitadora do processo de aprendizagem.

A musicalização é um processo de construção do conhecimento, favorecendo o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, memória, concentração, atenção, do respeito ao próximo, da socialização e afetividade, também contribuindo para uma efetiva consciência corporal e de movimentação.

A musicalização na educação infantil está relacionado a uma motivação diferente do ensinar, em que é possível favorecer a auto estima, a socialização e o desenvolvimento do gosto e do senso musical das crianças dessa fase.

Cantando ou dançando, a música de boa qualidade proporciona diversos benefícios para as crianças e é uma grande aliada no desenvolvimento saudável da criançada. Aqui em casa, durante algum tempo contratei um professor particular de música para as crianças fazerem aula juntos. Na verdade foi a primeira atividade que a Luisa e o Antonio Pedro fizeram juntos, a experiência foi maravilhosa! Cada um aproveitava a aula de acordo com a sua faixa etária e era muito rico. O professor tocava algum instrumento, cantava e associava alguma brincadeira com a música.

Além disso, também começa a apresentar as crianças os mais diversos instrumentos para elas perceberem a diferença de sonoridade. As crianças se divertiam muito, quando chegava o dia da aula, tinha toda aquela expectativa para o que ia acontecer na aula.

As aulas de piano contribuem para o desenvolvimento infantil

Fazer aulas de teclado ou de piano faz com que as crianças aprendam bem um instrumento e toquem música. Mas não só isso.

A música não somente relaxa, mas também estimula diversas habilidades nas crianças. E um dos instrumentos musicais prediletos de todas as famílias é o piano, que tem inúmeros benefícios em todos os sentidos: físico, intelectual e emocional. Ele é tido muitas vezes como um dos instrumentos mais completos no meio musical.

Estudar o piano traz muitas outras vantagens para o seu filho: desenvolvimento de capacidades cognitivas, habilidades de sociabilização, abertura de espírito para o mundo, e por aí vai…

Será que o ensino do piano às crianças ajuda no seu desenvolvimento?

Aprender o piano para ficar mais inteligente

Durante várias décadas, os cientistas estudaram uma questão específica: será que o estudo do piano (ou de outro instrumento) tem influência no desenvolvimento da capacidade intelectual das crianças? Este é um tópico de pesquisa muito popular dentro da comunidade de neurologistas. Vários estudos foram realizados sobre o assunto e todos tendem a responder afirmativamente: sim, aprender um instrumento contribui para o desenvolvimento geral das crianças e, em particular, na aprendizagem escolar.

O estudo mais famoso foi conduzido em 1997 por dois cientistas: F. Rauscher e G.Shaw. Eles demostraram que as crianças que praticam um instrumento musical desenvolvem mais as capacidades de raciocínio do que as demais crianças. A metodologia utilizada para este estudo pode ser resumida em algumas linhas: os pesquisadores reuniram 78 crianças, que estavam divididas em 3 grupos diferentes. Trinta e quatro (34) crianças frequentaram aulas de piano (primeiro grupo), 20 frequentaram aulas de informática (segundo grupo) e 25 não frequentaram nenhuma aula em especial (terceiro grupo). Depois de alguns meses, os pesquisadores submeteram todas as crianças ao mesmo teste psicotécnico.

O resultado foi claro: as crianças pertencentes ao primeiro grupo, que frequentaram aulas de piano, obtiveram em média 34% de resultados superiores aos dos outros dois grupos. Este teste teve como objetivo avaliar as capacidades de raciocínio espaçotemporal (capacidades essenciais para a aprendizagem da matemática e de outras ciências). Outros estudos sobre este assunto podem ser citados. Tudo vai na mesma direção: as crianças que aprendem o piano têm mais chances de ter bons resultados acadêmicos.

Por que ensinar piano às crianças?

Os benefícios cognitivos da música não afetam só as crianças, mas todos os músicos em geral. Um estudo de 2003 publicado por cientistas alemães mostra que os músicos têm, em geral, um cérebro mais desenvolvido do que aqueles que não têm contato com música, em especial em questões de ouvido, mas não só nesse quesito. Na verdade, a atividade motora é, em geral, mais desenvolvida nos músicos, porque eles são levados, no decorrer de sua prática musical, a criar uma relação rápida e direta entre a partitura e o movimento de dedos ou outros membros. Isso não significa que um músico seja necessariamente mais inteligente que alguém que não tenha contato com música, segundo o estudo: podemos ser não músicos e inteligentes ao mesmo tempo. Ufa! 😉

Por que ensinar música às crianças?Você sabe quais são os benefícios do contato com a música para os bebês e as crianças?

Para saber mais sobre a influência da música no desenvolvimento da inteligência infantil, leia este artigo. Podemos descobrir, por exemplo, que aprender o piano, ou outro instrumento como o violão ou a bateria, contribui para a aprendizagem de uma língua e pode fortalecer a memória em idade infantil.

Crianças, música e disciplina

O ensino do piano contribui, de forma mais geral, no desenvolvimento de outras competências como a disciplina, elemento essencial para a aprendizagem. Para aprender qualquer conteúdo, de qualquer área do conhecimento, ter disciplina é fundamental. Ninguém consegue assimilar nada sem o mínimo de rigor, dedicação e comprometimento.

É claro, quando falamos em educação infantil, o professor tem papel fundamental no estabelecimento da disciplina. Mas a disciplina que a criança impõe a si mesma (com a ajuda de seus pais) tem valor crucial. O piano pode ser um objeto de diversão, de entretenimento e de alegria, mas também é sinônimo de dedicação, esforço e muito estudo. Estudar o piano é um exemplo típico de uma atividade de lazer que não se trata somente de entretenimento. O piano é o lazer no sentido etimológico, isto é, no sentido grego de “schole“, que deu origem à palavra escola e que pode ser traduzida como “estudo”.

Uma criança que aprende o piano bem cedo vai adquirir um estado de espírito que é base de toda a aprendizagem (ou seja, a disciplina). Sobretudo se a criança quiser estudar o instrumento por si só. Isso consegue explicar, por exemplo, o fato de as crianças que estudam música com regularidade na escola possuam um melhor desempenho escolar.

Uma criança que toca piano não só desenvolve habilidades cognitivas que facilitam a aprendizagem escolar, mas, além disso, ela adquire uma disciplina favorável ao processo de aprendizagem em geral.

As aulas de piano contribuem para o desenvolvimento da sociabilidade

Quando você é adulto, pode aprender a tocar piano sem precisar chamar um professor. Os recursos multimídia, como a internet, e até o YouTube, permitem que você aprenda a tocar piano sozinho, mesmo que não seja a solução ideal. Por outro lado, quando você é criança, a única maneira de estudar o piano é por meio de um professor de música. Inevitavelmente, um relacionamento é estabelecido entre o aluno – a criança – e o professor, um relacionamento que não é apenas um relacionamento disciplinar, mas também um relacionamento humano.

As aulas de piano permitem que a criança mantenha uma relação social com um adulto fora do ambiente familiar e escolar, um relacionamento que permite que ela desenvolva suas habilidades sociais.

Benefícios das aulas de piano para os pequenos.Tocar piano contribui para o desenvolvimento das habilidades sociais da criança.

O papel social da música é, obviamente, ainda mais potencializado se o seu filho fizer uma iniciação musical coletiva. Se o seu filho for pequeno (se tiver menos de 3 anos de idade), talvez ainda seja muito cedo para lhe oferecer aulas particulares de piano. Mas você pode matriculá-lo em aulas de musicalização infantil. Estas aulas têm como objetivo principal a conscientização musical, mas também trabalham questões como sociabilização e temas importantes como respeito, solidariedade, tolerância e diferença.

Com alguns anos a mais, seu filho poderá integrar uma escola de música praticar ou estudar um instrumento, teoria musical ou solfejo com outras crianças de sua idade (qual a melhor idade para começar o piano?). Tocar música em um grupo contribui muito para o desenvolvimento de certas capacidades sociais.

Os benefícios da música para a saúde do seu filho

A música faz bem para a moral e para o espírito. Para estudar, não basta trabalho, esforço, disciplina… A música também traz diversão e é relaxante. Se nós tivéssemos apenas um conselho para dar aos pais que desejam que seus filhos aprendam o piano, seria esse: para que uma criança consiga progredir nos estudos e toque bem o instrumento, ela precisa gostar de piano. Para a criança (e também para o adulto), o fato de gostar é um fonte de motivação. Simples assim. O piano é uma ocasião para as crianças relaxarem e desestressarem (sim, nos tempos modernos as crianças são estressadas!).

Quais são as vantagens de ensinar música ao seu filho?Tocar piano ajuda a reduzir a ansiedade da criança.

Tocar piano em casa, ou qualquer outro instrumento musical, tem um certo poder sobre o estresse. Para alguns adultos, aprender o piano é uma maneira de conseguir uma hora para relaxar para descansar, em meio a uma vida profissional muitas vezes agitada e estressante.

O desenvolvimento da sensibilidade nas crianças

A noção de sensibilidade é fundamental na música e na arte em geral. Aprender um instrumento musical, incluindo a aprendizagem do piano, é uma oportunidade ideal para desenvolver a sensibilidade do seu filho.

Sensibilidade musical, é claro, mas também outras sensibilidades em geral, como a artística, e mesmo, ainda mais amplamente, a sensibilidade humana.

Ter sensibilidade significa ter a capacidade de se interessar por coisas externas a si mesmo, para emergir do egoísmo natural. Essa capacidade de se interessar por algo diferente de si mesmo. Isso também significa ter uma mente aberta a novos horizontes, característica essencial no mundo contemporâneo, cheio de intolerâncias ao diferente e ao outro. A música faz as pessoas ficarem juntas, já dizia Madonna 😉  Essa é uma das muitas contribuições do ensino do piano às criança.

Ao fazer aulas de piano ou aulas de música, uma criança não aprende apenas piano ou música, mas também desenvolve, ao mesmo tempo, uma capacidade, uma habilidade para se abrir ao mundo, ou seja, uma abertura de espírito que será muito útil ao longo de toda a sua vida, tanto em sua vida pessoal quanto em sua vida profissional, acadêmica…

Para concluir, precisamos enfatizar um ponto crucial: para que seu filho se beneficie de suas aulas de piano, para que ele encontre uma maneira de desenvolver suas várias capacidades (sociais, cognitivas, de abertura de espírito, etc.). é muito importante que o professor que lhe ensine o piano se adeque à sua personalidade e à sua idade. Nem todos os professores de piano são competentes para ensinar crianças. A pedagogia não é a mesma em função da idade. Então, reserve um bom tempo para escolher o professor mais adequado às necessidades de seu filho e, se necessário, não hesite em trocar de profissional.

 

Violão e Guitarra

Em geral, estima-se que a idade mínima para começar a aprender guitarra ou violão seja entre 6 e 7 anos. Antes disso, a criança não tem maturidade física para tocar o instrumento: as mãos são pequenas e um pouco desajeitadas para pressionar as cordas com precisão nas casas.

É por isso que é muito importante deixar a criança explorar a música livremente desde cedo: isso permite uma abordagem lúdica do universo musical, até chegar o momento que ela irá escolher seu instrumento preferido, de forma livre.

Sim, tocar guitarra e violão traz muitos benefícios para as crianças!

A partir de 8 anos, a criança dispõe de maturidade física e intelectual suficiente para conseguir se concentrar durante 15 a 20 minutos ao realizar uma atividade. É hora de começar as aulas de violão ou guitarra adaptadas para sua idade.

No aspecto físico, os dedos já são longos e possuem os músculos necessários para pressionar corretamente as cordas.

Além disso, existem modelos de guitarra e violão especiais para cada faixa etária:

  • Para crianças de 4 a 6 anos, entre 1 m e 1,15 m, um violão que seja 1/4 do tamanho padrão;
  • Para crianças de 5 a 8 anos, entre 1,15 m a 1,35 m, um violão que seja 1/2 do tamanho padrão;
  • Para crianças de 8 a 11 anos, entre 1,35 m e 1,5 m, um violão que seja 3/4 do tamanho padrão;
  • Crianças a partir de 11 anos e que tenham pelo menos 1,5 m podem ter um violão de tamanho padrão.

Aulas de guitarra: atividade extracurricular

As aulas de violão ou guitarra são consideradas uma atividade extracurricular ideal porque oferecem benefícios diversos para o desenvolvimento dos jovens.

A guitarra abre a mente

De cara, a criança consegue rapidamente descobrir e tocar músicas que lhe agradam. Isso contribui para abrir horizontes, pois elas entram em contato com outras culturas e ritmos, como rock, blues, jazz, samba, mpb, reggae, sertanejo…

Cada estilo musical tem sua origem e sua história. Esses conhecimentos enriquecem ainda mais os estudos das crianças.

Sair do seu meio social

Outra vantagem é o fato de que ela vai tocar com crianças de ambientes diferentes do que frequenta, como escola, amigos e família. Ela vai cruzar com pessoas de outros níveis sociais, que possuem uma história certamente diferente da sua.

Benefícios intelectuais e morais de estudar violão e guitarra

Seja em adultos, adolescentes ou crianças, o fato é que a música traz muitos benefícios. Nem sempre percebemos claramente quais são eles, mas eles existem e estão sempre presentes.

Tocar violão contribui para a concentração

É certamente a primeira habilidade que a criança vai desenvolver quando estudar guitarra ou violão.

Na verdade, a aprendizagem do instrumento exige um esforço constante de nossas capacidades mentais e intelectuais para conseguir realizar a tarefa. Seja ao fazer uma sequência de acordes, aprender uma técnica específica como a palhetada, desenvolver habilidade na mão direita, enfim.

A concentração é uma prova de motivação e determinação da criança: ela aprende a focalizar e se esquece das distrações.

Consequentemente, graças às aulas de guitarra ou violão, ela desenvolve a habilidade de concentração, que pode ser utiliza em toda sua vida, seja para resolver um problema de matemática na escola, para jogar xadrez ou estudar para uma prova.

Tocar guitarra ajuda na concentração e na memória das criançasOs mais jovens tem muita facilidade para explorar música!

No mundo de hoje, estamos imersos o tempo todo em sons diversos (toques do celular, TV, videogame, música alta), além das vibrações e notificações das redes sociais. Por isso, tocar música é quase como se refugiar em um pequeno santuário particular!

Lá dentro desse local sagrado, com uma guitarra na mão, todos os sentidos são aguçados e estimulados: os olhos decifram as partituras etablaturas, os ouvidos atentos às notas perfeitas, os músculos dos braços e mãos contraídos e o cérebro em plena atividade, para sincronizar tudo isso em harmonia.

Aulas de guitarra ajudam a memória

O cérebro das crianças nesta idade funciona como uma esponja: ele absorve uma quantidade impressionante de informação.

É também a fase em que o gosto começa a se definir pouco a pouco.

No fundo, tocar guitarra não é uma atividade extremamente complicada: depois de aprender os primeiros acordes maiores e menores (e alguns acordes em sétima, talvez), de saber como posicionar os dedos no braço, e tocar as cordas com os dedos ou a palheta, você já consegue reproduzir uma série de músicas, de qualquer estilo que escolher.

Como as crianças têm essa qualidade de “beber as informações”, a guitarra vai ajudá-las ainda mais a estruturar e reforçar a memória.

 

Deixe uma resposta

Login